Rafael Lucchesi – Por uma educação inovadora: um diálogo com o Brasil

Rafael Lucchesi é Diretor de Educação e Tecnologia da CNI (Confederação Nacional da Indústria) e acumula também o cargo de diretor geral do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial). É economista formado pela Universidade Estadual de Feira de Santana.

 

Assista ao talk aqui:

embedded by Embedded Video

 

*Rafael Lucchesi apresentou o cenário da educação no Brasil, afirmando que temos uma escola do século XIX, professores do século XX e alunos do século XXI. Dessa forma, acredita que vivemos e um mundo em mudança, com um cenário transformador, que necessita de pessoas que sejam colaborativas, criem e inovem para chegarem a novas soluções.

Foto: Vanessa Silva

 

 

A fronteira tecnológica se move mais rapidamente e “a sociedade brasileira não fez um grande esforço em relação à educação. É uma agenda em aberto no país.” Os indicadores internacionais são muito melhores que os do Brasil. Lucchesi acrescenta que na educação as transformações são geracionais, demoram para acontecer.

O palestrante cita que o perfil do jovem hoje em sala de aula é de 88% que compartilham conteúdo em redes sociais e 83% que escreve nelas. Os jovens estão interagindo com outras pessoas e ferramentas, no entanto, a escola não mudou, é  a mesma desde o início do século passado, com um  único emissor em sala de aula. É preciso refletir sobre a eficiência da escola, principalmente nas escola públicas, pois a plataforma educacional atual não é suficiente para avançar na educação, e a ênfase é no decorar ao invés de conhecer e fazer.

Rafael é enfático quando afirma que precisamos mudar o modelo de escola atual, onde um fala e o outro tenta decorar. “É preciso modificar esse modelo, encontrar outras alternativas. O Brasil precisa de algo que favoreça o desenvolvimento econômico educacional, valorização de educação profissional, tecnologias aliadas às novas propostas educacionais, criatividade e imaginação em sala de aula.” E exemplifica algumas iniciativas de outros países que têm dado certo e que podem ser exemplos para o Brasil.

Lucchesi, relata que o Sesi e Senai estão utilizando algumas inovações na sala de aula. No Senai estão avançado para 4 milhões de matrícula/ano, e refletindo sobre o sistema educacional.

*Texto: Camila Barths

 

 

Quer saber mais sobre os demais talks? Clique aqui.