Quando a educação acontece

Nana contou, no TEDxUnisinos 2013, as histórias que conta na ONG Doutorzinhos.

Ela foi registrada como Naraiana Nunes, mas é como Nana que todo mundo a conhece. Uma mulher multi na área da educação. Professora no Colégio Metodista Americano, Nana também é contadora de Histórias no Projeto Viva e Deixe Viver que faz parte da ONG Doutorzinhos.

Sim, ela é uma mulher cheia de histórias inspiradoras para contar. Nana está sempre cheia de ideias inovadoras.  No TEDxUnisinos 2013 ela vai apresentar o tema “Faz de conta que acontece!”.

Inovação pode ser uma novidade, uma ideia ou invenção, mas também acredito que possa ser uma renovação”, é o que Nana conta. Ser professor é, para ela, uma profissão que tem trazer prazer. “Ser professor é diferente de estar professor, só se aprende de forma livre quando estamos felizes por estar onde estamos”, diz.

Como professora, Nana percebia que as crianças se encantavam com cada descoberta. Começou a fazer trabalhos voluntários em escolas estaduais e municipais que não tinham momentos de contação de histórias. “Para minha surpresa, a alegria e o sentimento das crianças eram o mesmo e ainda mais significativo, pois a realidade de vida daqueles pequenos ouvintes era ainda pior; percebia que a imaginação estava se apagando em cada aluno”, conta.

Quando ela conheceu a ong para contar histórias em hospitais, pensou que a alegria e vibração poderiam estar presentes neste outro lugar, “um lugar que não foi feito para crianças”. “Contar histórias no hospital é algo que vai além do esperado, pois nos sentimos presenteados ao sair de cada quarto. Cada história contada, independente do lugar, classe social, raça, religião e dificuldade, faz com que cada ouvinte possa relembrar e acender a imaginação que talvez esteja sendo esquecida”, lembra.

Para antecipar as histórias que vai compartilhar no TEDxUnisinos, ela respondeu duas perguntas:

TEDxUnisinos: O que você leva do Doutorzinhos para a sala de aula e o que leva da experiência como professora para o Doutorzinhos?

Nana: Acho o ambiente escolar muito formal e sem graça, não me leve a mal, mas é como as salas de aula fossem frias e sérias demais, assim como é no hospital. Em ambos os lugares, tento levar um pouco mais de alegria de graça, tento fazer com que nos dois ambientes as crianças possam se sentir relaxadas e percebam que a vida é mais simples e gostosa. Que ouvir é tão importante como falar, que um olhar fala mais que mil palavras, que nosso corpo fala, que temos várias formas de comunicação…  E tento mostrar que o calor e a vida nas coisas são responsabilidades da nossa alegria e do nosso sorriso, por isso em ambos os lugares procuro estar sempre feliz.

Ao ler histórias no hospital consigo ter uma dinâmica e uma didática, consigo perceber se estão gostando ou não, isso se deve a minha prática como professora. E, na escola, tento mostrar para meus alunos a importância de se valorizar o que se tem, a importância de cuidar de si e dos outros, mostro que doar é muito mais do que dar algo, é agir com o coração, é não querer nada em troca.

Mas de uma coisa tenho certeza: eu levo de um lugar para outro muito pouco em relação ao que eu recebo. Pois carinho imediato, retorno imediato, aprendizagem imediata e sabedoria imediata, não é em qualquer lugar que se consegue. E em ambos os lugares este retorno é na hora. É como se eu me tornasse gigante de uma hora para outra.

TEDxUnisinos: O que realmente importa para o futuro das crianças?

Nana: O que importa é que os adultos permitam que as crianças sonhem, que acreditem na esperança e percebam a felicidade na simplicidade da vida.

Devemos permitir que as crianças se encantem com cada descoberta, pois o mundo é um mundo de coisas a descobrir. É preciso fazer com que as crianças sejam verdadeiras em seus gestos e ações. Que não temam em ser ridículas ou fazer feio (AFINAL ISSO É COISA DE ADULTOS); que apenas ajam com naturalidade, a naturalidade de uma criança.

O que importa para o futuro é que a imaginação seja uma amiga e  companheira  irreal e até mesmo real. O que importa para o futuro destes pequenos é  que não ajam  com preconceito diante do diferente, pois ser diferente não é ser mais nem menos, é ser apenas… diferente.  Ao contar histórias no hospital, me pergunto o que realmente importa para aquelas crianças, então chego à conclusão de que elas devem agir com naturalidade diante da morte, pois a vida não é mais do que uma parte do caminho. O que importa realmente é que elas chorem quando tiveram vontade, pois as emoções são para ser vividas, compartilhadas e sentidas.

Assim elas serão adultas que saberão brincar, sorrir, amar e, principalmente, a ouvir.

Assista aqui ao talk de Nana no TEDxUnisinos 2013:

embedded by Embedded Video

Era uma vez… Uma contadora de histórias. Nana Nunes, professora e voluntária no Projeto Deixe Viver e na ONG Doutorzinhos apresentou sua experiência como contadora de histórias.Nana, que iniciou sua trajetória em uma biblioteca, formou-se em pedagogia com o sonho de tornar-se professora. Logo de início, percebeu que a escola, a família dos alunos, a mídia, todos os segmentos da sociedade sempre falavam sobre a importância da leitura, porém, nas escolas, os alunos não liam tanto. Percebeu ali um desafio que fez brilhar seu olho e colocou-se logo a realizar mudanças na biblioteca e a contar histórias para as crianças.

E como saber se você é um bom contador de histórias? Nana garante que o riso, a alegria e a vontade de contar as histórias com emoção são bons indícios.

Através desta prática Nana muda um pouquinho a cada dia a rotina de estudos de seus alunos e a de pacientes em hospitais. Sim, é preciso exemplos, muito mais do que discursos, por isso, estas ações que podem parecer tão simples, acabam trazendo bons resultados nestes dois ambientes, melhora no desempenho e no interesse dos alunos pela literatura e na alegria dos pacientes. A motivação é contagiante.

Com isso, Nana garante que a inovação está na alegria de ver o outro sorrir e se desenvolver, muito mais do que em buscar ideias mirabolantes. Este é um faz de conta que realmente acontece.

Saiba mais sobre o TEDxUnisinos 2013 aqui.

 

8 Responses to “Quando a educação acontece”

  1. Graaaaaande Nana !!! Esta foi (e será) uma das contribuições mais importantes da ONG !!! Parabéns pela divulgação e alcance do teu trabalho !!!

  2. Lenara disse:

    Linda!
    Todos deveriamos ter a oportunidade de conhecer uma pessoa, tao maravilhosa quanto esta. Uma pessoa que em qualquer ambiente que está , o enche de alegria, uma pessoa incrível, que transcede o melhor, que realmente, nao se acha em qualquer lugar.
    Mulher guerreira, companheira e excelente professora, conhecedora de muito e o repassa com uma facilidade, que contagia a todos.
    Faço questão de que todas as pessoas saibam quão especial é este ¨SER¨iluminado.
    Se puderem conhecê-la, confirmaram o que estou falando>
    Bjs

  3. Sofia Delatorre Fonseca disse:

    Melhor professora e contadora que eu já conheci. É engraçada e a maioria das vezes esta sorrindo.
    bjs Sofia D : )

  4. Eduardo Orlandini disse:

    Quem teve o privilégio de conviver com a Nana sabe que tudo que está escrito acima é a mais pura da verdade. A Nana é a pessoa mais doce, gentil, querida, e dedicada que conheço. Éramos colega de trabalho no Americano e desde a primeira vez que nos vimos nossa amizade só fez crescer. Que delícia nossos dias, nossas idas à cantina (e aquele tempo a gente podia comer de tudo). Ríamos, chorávamos, trocávamos idéias, ideais. Foram anos de convivência diária que eu jamais vou me esquecer. O tempo foi passando e um belo dia ela me convidou para conhecer sua família. Que surpresa!! Eram todos iguais a ela. Doces, queridos, batalhadores e com o coração enorme. Aliás foi dali que ela trouxe toda a bagagem inicial de como tratar as pessoas e cuidá-las com o maior carinho. Todos naquela família são exemplos de tudo que se possa imaginar de bom. Eu morro de saudades de todos. Eu desejo, Nana, que Deus continue sempre iluminando teus caminhos e que essa luz continue brilhando os nossos corações.Que coisa mais deliciosa ter uma amiga como ela. Estou muito emocionado e não tenho mais palavras para agradecer o bem que ela e todos da sua família me fizeram e continuam a fazer. Mesmo à distância. Beijo a todos.

  5. Naianara disse:

    “Um certo dia estava trabalhando e uma criança chega na minha frente e pergunta: Tu é a Prof Nana? E eu respondo: Não meu Amor, quem me dera eu chegar aos pés da Prof Nana, sou irmã dela. Na mesma hora a criança saiu em direção aos seus pais e disse: Mãe, mãe ela é irmã da Profe. Ver a felicidade daquela pequena criança falando com amor e com muita admiração da Nana, me encheu de orgulho, sem dúvida nenhuma foi uma experiência fantástica”.
    Meu orgulho, meu exemplo, meu caminho… Não canso de dizer que o mundo só seria perfeito se todas as pessoas tivessem uma Nana em sua vida.
    Parabéns e obrigada por fazer parte da minha história!

  6. Simone Nunes Lopes disse:

    Querida Nana! Parabéns pelas lindas palavras e pela excelente profissinal que é! Muito bom poder conviver contigo como colega…
    Um grande beijo e continue com muito amor nesta linda caminhada.

  7. Yentl disse:

    fui aluna, hoje sou amiga dessa grande prof.

    um orgulho.
    a tal “risada” da nana.
    nunca esqueço da voz dela contando histórias, lá na biblioteca, último andar, final do corredor do setor1… quem deixa memórias boas assim depois de tanto tempo tem algo de especial, não tem?

  8. Suria Liz disse:

    Com muito orgulho, digo, eu tenho uma irmã professora, para muita gente pode parecer uma bobagem, mas com certeza , para quem não conhece a Nana.
    Ser irmã de uma pessoa que dá aula com o coração, sempre mostrando os valores, motivada e fazendo cada criança entender a mensagem passada, não tem igual.
    Tenho dois filhos e com certeza os ensinamentos da Nana fez a diferença.
    Parabéns irmã, as pessoas alcançam o que querem quando se dedicam e vão a luta.
    Te amo

Deixe um comentário


IMPORTANTE!
Para enviar o comentário, você precisa resolver um simples cálculo (Nós precisamos saber se você é realmente humano ) :D

Quanto é 8 + 12 ?
Please leave these two fields as-is: