Jorge Coelho – Educação: cultura pop e cultura digital

Foto: Bruno Alencastro

Sabe qual é a paixão,  de Jorge Coelho? Ser professor sobre a cultura digital.

Assista ao talk aqui:

embedded by Embedded Video

YouTube Direkt

 

*Todas as salas de aulas da rede municipal tem lousa digital, os professores têm notebooks à disposição e a cidade tem rede wireless gratuita. A cidade está preparada para trabalhar o processo cultural, emocional e educacional.

Ele argumenta que a chave para os melhores resultados está em trabalhar com estas experiências, tão desafiadoras.

O projeto envolve redes sociais, dispositivos com web TV em atividades curriculares e extracurriculares. Um dos diferenciais é a transmissão em tempo real dos eventos que acontecem nos projetos desenvolvidos.

Ele se pergunta: qual é a novidade? “O primeiro ponto são os jovens. Nós podemos entendê-los ou ficarmos acomodados na nossa realidade. No entanto, o jovem de hoje é catalisador de grandes mudanças, ele representa novos comportamentos, novas tendências, influenciam os hábitos de consumo e comportamento. Em poucos dias transformam situações reais em situações virais na internet”, responde. Diante dessa realidade, Jorge questiona: por quê o fluxo de trabalho da sala de aula é tão linear?

Atualmente ser normal para os jovens, é algo muito chato. Em vez de neutralizar diferenças, eles estão demonstrando-as. Estamos vivendo a geração jovem mais plural da história. Mas, e as ações das escolas também são plurais?

Nossos jovens são pessoas comuns que realizam pequenos sonhos que atraem a atenção dos colegas. Nesse ponto a tecnologia tem grande papel, a vida é multimídia. No entanto, esses jovens vivem uma realidade completamente diferente da sala de aula de hoje.

O professor trabalha ao lado do aluno e aprende com o aluno.

A cultura pop, considerada a cultura de hoje, vive com games. Mas muitas pessoas ainda acreditam que os games são meros entretenimentos. “Meu Deus, como essas pessoas estão enganadas”, fala Jorge. Para ele, o universo dos games apresenta uma situação complexa, de imersão. São experiências imersivas que atraem os jovens de hoje. A cultura pop está totalmente ligada à cultura digital, se os imigrantes estiverem trabalhando com ambas, estarão trabalhando com criatividade. A ideia de consumidor passivo está ficando para trás. Precisamos nos desafiar a aprender.

“Nós, professores, precisamos entender cada vez mais os nossos jovens”, diz ele. Isso, para Jorge, é muito empolgante.

*Texto: Daiane Grassi e Elisângela Ribas

 

Quer saber mais sobre os demais talks? Clique aqui.