Alternativas para educação foram discutidas no TEDxUnisinosSalon 2017

Evento movimentou o Campus Porto Alegre nesta segunda-feira, 11 de dezembro

Texto: Lorenzo Panassolo

Cultura maker e tecnologia: possibilidades para educação foi o tema do o TEDxUnisinosSalon 2017 que ocorreu nesta segunda-feira, 11 de dezembro, no Campus Porto Alegre. O evento reuniu 7 speakers que compartilharam suas experiências, trabalhos e ideias inovadoras para o público presente. A apresentação do evento ficou por conta da Hostess, Laura Dalla Zen.

Os coordenadores do curso de Engenharia Elétrica da Unisinos, João de Souza e Lúcio Prade, foram os primeiros palestrantes do evento. Com o foco na Robótica maker, os professores apresentaram um conceito baseado na ideia de que todos podem aprender algo novo com materiais simples. “As crianças são muito curiosas, gostam de experimentar coisas novas. Com a Robótica maker, conseguimos juntar três pilares: mecânica, eletrônica e computação”, declarou João.

Os palestrantes contaram que desde pequenos, abriam seus brinquedos e procuravam novas formas e funções para eles. Com isso, afirmaram que o interesse pela área deve ser incentivado desde cedo, utilizando a tecnologia através de programas e maneiras didáticas de ensino. “Robótica maker está muito difundida. Hoje, no mundo digital, em qualquer site encontramos diversas maneiras de construir um robô com um pequeno motor”, finalizou Lúcio.

“O que você fazia quando tinha 9 ou 10 anos?”, esse foi o questionamento feito ao público presente, pelos dois alunos da Escola Municipal Irmão Weibert, de São Leopoldo, Arthur Cardoso e Gustavo Trein. Com auxílio de professores e da Secretaria de Educação da cidade, os estudantes criaram um jogo com software Scratch, que tem como objetivo, conscientizar a sociedade na proteção do meio ambiente e a diminuir a poluição.

“Os jogos são a linguagem da gurizada de hoje”, afirmou Gustavo, ao explicar que o projeto desenvolvido consiste em recolher o lixo espalhado pela escola, encontrando o mais rápido possível, uma lixeira para descartá-lo. “Jogando juntos, aprendemos juntos”, enfatizou Arthur. Assim, com um jeito diferente de aprendizagem, o jogo incentiva a sustentabilidade e reforça que é possível transmitir ensino de forma didática. “Então, escola. Deixa teu like, clica F5 e atualiza”, declararam Arthur e Gustavo.

Os alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental João Goulart, Brenda Severo e João Davi dos Santos, são criadores do projeto Teen Community. Por meio da Gamificação, eles elaboraram um jogo que conta a história da escola e da comunidade de Vila Brás em São Leopoldo. “Estamos aqui para compartilhar nossas histórias e experiências”, afirmou João.

A ideia surgiu pelo interesse dos alunos através do Programa Acelera e contou com a orientação da professora Renata Garcia Marques. Mesmo com poucos recursos disponíveis, a dupla conseguiu criar um jogo que tem a capacidade de promover um novo pensamento crítico entre os alunos. Com a utilização do software Blender 3D, Brenda e João mostraram que é possível aprender de diferentes formas com o apoio do colégio.

“É fundamental que a escola invista na capacidade de seus alunos”, afirmou Brenda. Entre os objetivos do projeto, podemos destacar a abordagem dos problemas da instituição, como depredação e lixo acumulado. “Juntos, nós, alunos e professores, somos capazes de mudar o mundo”, declararam Brenda e João.

“Em uma época de tecnologia, tablets, como promover ações e espaços para além da sala de aula?”. Com essa pergunta, a professora formada em Pedagogia, Bruna Schuster, começou sua palestra. Através do programa “A cidade como tema de aprendizagem”, ela procurou aplicar de maneira inovadora, os conteúdos da sala de aula para seus alunos.

Ela contou que tudo começou com a curiosidade dos estudantes sobre a idade de uma antiga escola, localizada na Rua Irmão Weibert, em Bom Princípio. A partir desse questionamento e do conhecimento sobre patrimônio cultural, eles procuraram no site da cidade, arquivos sobre os prédios. “No estudo, eles encontraram um inventário com 23 edificações e realizaram a primeira visita através de um tour virtual”, afirmou Bruna.

Depois disso, utilizaram o jogo Minecraft para construir seis edifícios com as plantas adquiridas no site, aplicando estudos como a área, perímetro e medidas na experiência. Por fim, o jogo chamado “Desbravando a Rua Irmão Weibert” foi desenvolvido pelos estudantes, que tem o objetivo de expandir o conhecimento adquirido, demonstrando que é possível ensinar de diferentes formas. “Os alunos devem ser protagonistas de suas próprias aprendizagens”, concluiu Bruna.

Equipe de voluntários e speakers do TEDxUnisinosSalon

Confira mais fotos do evento no Flickr do TEDxUnisinos.

Deixe um comentário


IMPORTANTE!
Para enviar o comentário, você precisa resolver um simples cálculo (Nós precisamos saber se você é realmente humano ) :D

Quanto é 15 + 10 ?
Please leave these two fields as-is: